Diferenças entre hífen, travessão e meia-risca

|

Essas três coisinhas que são extremamente parecidas, podem ser confundidas por qualquer um e é por isso, que estou aqui com essa dica SUPER simples, porém muito necessária para que quem quer ter um português bem bonitinho.
Lá vamos nós, para entendermos isso é necessário saber que os três tem tamanhos e funções diferentes. O travessão (—) é maior que o hífen (-) e que meia–risca (–).
Hífen:
Explicando o hífen de forma chata com palavras difíceis, ele deve ser usado em três situações: Para dividir sílabas na translineação (passar de uma linha para outra ficando parte da palavra na linha superior e o resto na seguinte), entre elementos na conjugação verbal pronominal (são conjugados com um pronome oblíquo átono (me, te, se, nos, vos, se)) e entre elementos de vocábulos compostos. Explicando esses casos de forma simples respectivamente:
Exemplo 1 «Este telemóvel que com-
praste tem GPS?
Exemplo 2 «Hoje ajudo-te com essa sinopse.»
Exemplo 3 «Essa é uma velha história de uma flor e um beija-flor.
Meia risca:
Usado para unir sequências (2–3–4) ou intervalos, de números ou letras.
Exemplos:
«Veja a lista dos nomes com iniciais A–D.
«Adicione 2–4g da solução.
Travessão:
O travessão é utilizado para assinalar o início, a alternância ou o fim do discurso direto e destacar elementos não essenciais para a construção de uma frase. Veja respectivamente os exemplos de cada um:
« — O que deseja no almoço?
« O presidente — Barack Obama — irá vir até aqui.

Hífen: os teclados possuem uma tecla atribuída a este sinal.
Meia-risca: Alt+0150.
Travessão: Alt+0151.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário